Conheça Eldarya e seu mundo fantástico!

Conheça os habitantes e mascotes. A aventura e o amor estão presentes nesse mundo fantástico onde a história se adapta às suas escolhas.

Páginas : 1

#1 18-02-2018, às 21h17

Guarda Reluzente
Valonqar
The Storm
Valonqar
...
Mensagens: 4 209

☁ O Filho do Olimpo, por CherryPie

https://orig00.deviantart.net/11a7/f/2016/236/6/1/cloudy_star_divider__free_to_use__by_tictakoopa-daf3b66.png

Todas as mensagens parasitas, postadas antes do autor, serão eliminadas e o usuário poderá ser punido.
Boa conversa para todos vocês. ^-^


https://66.media.tumblr.com/31748a576718dccbf156079afd768cbe/tumblr_pggsidINP81v2lf4bo1_1280.png

Offline

#2 18-02-2018, às 22h12

Guarda Obsidiana
CherryPie
Fugindo da Miiko
CherryPie
...
Mensagens: 12


O Filho do Olimpo, por CherryPie


♡  Cherry é uma entidade da musica, descendente de Euterpe ♡
♡  22 anos  ♡
♡  Garoto Não-Binário  ♡



Nas frias e escuras ruas da França durante o inverno, uma criança foi encontrada, em frente a porta de um orfanato. Não havia identificação sobre nome ou quem eram os pais. A única coisa que era possível saber é que aquela criança não era desejada pelos seus pais biológicos. Pelo menos era isso que os funcionários pensavam. Ao olhar para uma criança tão indefesa, ninguém imaginaria que seria, por exemplo, descendente de uma das sete musas da mitologia grega, Euterpe.

Devido à sua aparência peculiar e o seu carisma curioso (afinal ninguém sabia ao certo de onde vinha) herdado de seus antepassados, foi adotada rapidamente, ao ponto de sequer se lembrar de como era a sua vida sem seus pais adotivos. Não demoraram para dar a criança o nome de Cherry, usando diversas vezes o termo CherryPie, que no fim acabava se tornando o nome real da criança, porque não se escutava outro em momento algum. Os pais adotivos de Cherry eram incríveis. Muito compreensivos e amorosos, como não podem ter filhos biológicos, entendem como é querer uma criança, e amam Cherry mais do que tudo nesse mundo.

Graças a isso, Cherry cresceu muito bem. Aprendeu tudo com muita destreza, como dançar, cantar, tocar, aprendeu a falar perfeitamente a língua natal, assim como o inglês e como se portar. Desde pequeno apresentou incrível afinidade com a arte, em especial a música, chegava a ser surreal, o que muito chamavam de dom. Mas na verdade, era apenas Cherry aflorando os dons herdados de sua ancestral.

Conforme ia crescendo, Cherry foi aprendendo muitas coisas novas, além de aperfeiçoar inúmeras habilidades. Mas o mais importante: Cherry não se identificava com seu corpo. Sentia como se um ser maior tivesse colocado um homem em corpo de mulher. Não se adaptava, não se sentia bem de forma alguma, mesmo vendo tantos adolescentes felizes com seus corpos e suas vidas, e a mídia forçando a ideia de que aquilo era o normal. Com o passar dos dias, foi ficando recluso, para baixo, porque tentava se adaptar e no fim ainda sentia como se tivesse algo de errado ali. Seus pais não demoraram muito para perceber o comportamento diferente de seu filho e procuraram entender o que estava acontecendo.

Foi aí que Cherry contou seu desejo mais secreto. Como se identificava como alguém não-binário. Seus pais se assustaram e estranharam um pouco no começo, afinal, muitas famílias quando planejam crescer assim, não cogitam a ideia de isso acontecer. Mas felizmente, como eram um casal livre de preconceitos e mais liberal, entenderam o que Cherry estava passando, e deram todo o apoio e o suporte necessário para seguir com a ideia e se sentir melhor consigo mesmo. Levaram-no para acompanhamentos médicos para entender primeiramente porque ele se sentia assim, e ver se era seguro prosseguir com a ideia. Depois que foi tudo aprovado, Cherry começou com seu procedimento com medicamentos e hormônios, para anular os femininos e ir perdendo toda aquela característica de fêmea, os seios, o quadril e as pernas mais grossas, para em seguida fazer a transição para um corpo mais masculino, que era como se identificava.

As coisas começaram a dar bem mais certo a partir daí. Cherry se sentia muito melhor. Era mais feliz, mais espontâneo, não só por ter a forma que queria ter, mas também por ter a aceitação de seus pais, de sua família, que é algo fundamental para se viver feliz. Nem todos os não-binários ou homossexuais possuem a mesma sorte. Estava tudo indo perfeitamente bem, Cherry estava prestes a ingressar em sua faculdade e seguir sua vida que seria brilhante e feliz. Fantasiava o futuro, encontrando alguém que o amaria como fosse, com todas as suas peculiaridades. Que fosse alguém gentil, carinhoso, cuidadoso e atencioso, que se desse bem com a sua família acima de tudo.

Mas o destino costuma pregar peças. E por essa, Cherry não esperava. Durante um de seus passeios rotineiros pela floresta, acabou topando com um círculo de cogumelos. Só quem já viu um sabe o quão tentador é entrar em um. Até porque, para os humanos, não passa de uma formação curiosa de cogumelos, sem significado místico por trás disso tudo. Mas aquele teve. Quando estava dentro do círculo de cogumelos, Cherry viu um enorme clarão de cegar e doer a cabeça. Quando a sua visão voltou ao normal, estava em um ambiente completamente diferente. Um onde nunca tinha estado antes. Era uma sala ampla, bem iluminada com uma vista incrível para florestas e uma praia. No meio da sala, havia um enorme cristal, talvez o maior que já tivesse visto em toda a sua vida. Atraído pelo cristal, Cherry se aproxima e tenta tocá-lo, até que é impedido por uma voz estridente feminina, que parecia assustada e chocada em vê-lo naquela sala. Segundo ela, a sala era protegida, e ninguém aparecia ali.

Cherry não teve tempo para se explicar. Nem conseguiria, se tivesse. Não é como se ele entendesse o que estava acontecendo por ali. Então acabou sendo levado pelo enorme ogro que mal sabia falar, mesmo de mal gosto, para as prisões. Não gostou nada da ideia. Cherry se sentiu aterrorizado, não estava ali porque queria, tudo era um grande mal entendido, mas duvidava de que alguém o ouviria. Não sabia se estavam se passando minutos ou horas. Só queria poder voltar para casa, seus pais provavelmente já estariam preocupados a essa altura do campeonato. Mas não fazia ideia de como fazer aquilo.

Após algum tempo, quando estava quase adormecendo, Cherry acorda com a porta de sua prisão abrindo. Era um homem mascarado, não conseguia ver seu rosto. Ele fez um sinal para que ficasse calado e sumiu. Depois disso, Cherry não tardou em sair de sua prisão e correr para fora dali, para procurar uma forma de voltar para casa. Subiu todos aqueles milhões de degraus até voltar onde estava antes. Porém, acabou esbarrando com um homem alto e forte, com pele bronzeada, olhos dourados e cabelos brancos. Parecia transtornado ao ver Cherry ali. Mas ele não deu tempo o suficiente para que o homem desconhecido o segurasse. Cherry correu mais do que rapidamente para a primeira porta que encontrou.

Mas não conseguiu fugir. Foi parar dentro de uma espécie de armazém de comida, e foi pego por um elfo de cabelo azul debochado. Foi levado novamente para a mulher de voz estridente, até que dessa vez, teve a oportunidade de dizer quem era e como tinha ido parar ali. Não acreditaram nele, de início. Até ameaçaram colocá-lo novamente na prisão. Mas com a ajuda de Kero, um unicórnio (ou quase isso), Cherry conseguiu se safar participando numa missão para encontrar comida e assim conquistando a atenção dos responsáveis das guardas, em especial, a atenção de Valkyon. Quando o teste de guarda foi feito, Cherry acabou caindo na guarda dele, a Obsidiana, além de

adquirir uma mascote chamado Owlett, uma espécie de grifo, que nomeou como Héspero.

Depois disso, Cherry tenta se adaptar àquele mundo. Era difícil, pois tinha magia e era completamente diferente de tudo o que conhecia. Brigou um pouco pelas más condições que lhe ofereceram como um quarto péssimo sem colchão, até que Valkyon se ofereceu para ajudá-lo nessa situação, ajeitando um quarto mais decente. Mas a vivência em Eldarya não era fácil. Conforme os dias iam passando, Cherry notava diferenças em seu corpo. Sem ter acesso aos hormônios que tomava na terra, agora seu corpo voltava para a versão com traços femininos. Seus cabelos iam ficando mais claros, assim como seus olhos, para uma versão mais esbranquiçada. Cherry achava que era por causa da magia. Mas na verdade, eram fenótipos que se exibiam apenas em locais mágicos, como Eldarya. Fenótipos herdados de seus antepassados semideuses, filhos das musas.

Por muito tempo era muito difícil lidar com todos aqueles problemas. Cherry se sentia envergonhado com seu corpo mais uma vez. Escondia e apertava seus seios com faixas e procurava deixar os cabelos mais curtos, apesar de crescerem com uma grande velocidade. Ninguém no QG desconfiava de que ele tinha traços femininos, falando de seu corpo físico, obviamente. Mas o pior problema que teve que encarar foi a terrível dor nas costas que foram surgindo cada vez mais fortes, sem que soubesse o motivo. Cherry tomava remédios para amenizar a dor, mas ninguém sabia de fato o que estava acontecendo com ele.

Um dia porém, o oráculo apareceu no QG, e apontou para Cherry. Todos ficaram transtornados ao observar aquilo, afinal o oráculo só aparece para faeries. Cherry tinha vindo da terra, como poderia ser um? Após isso, grandes testes feitos com poções feéricas foram feitas para que Cherry descobrisse quem era de fato. E no fim entendeu que na verdade, tinha sangue mágico como todos ali, e que só não tinha descoberto isso antes porque nenhuma dessas características mágicas se afloravam na terra.

Agora, faltava apenas descobrir a qual raça ele pertencia. Mas devo dizer que não demorou muito. A dor nas costas de Cherry se tornava cada vez mais insuportável, mas ele começou a notar que elas estavam se rasgando. Dia após dia, via algo como asas ainda sem penas brotando de suas costas. Não era uma visão muito agradável para ele, na verdade. As asas não costumam ser bonitas sem penas. Mas estava feliz porque aquilo de alguma forma explicaria de onde ele veio.

Então resolveram fazer mais alguns testes de Cherry, para descobrir sua verdadeira raça. No entanto, era um teste demorado para ser solucionado. Nesse meio tempo, Cherry começou a receber novas missões. Foi junto de Valkyon até a floresta a procura de uma criança Kappa, já que alguns informantes tinham dito ter visto uma por ali. E de fato tinha. Mas foram atacados por um blackdog no caminho. Cherry teria saído terrivelmente ferido nesse processo, se Valkyon não tivesse o salvado. Foi um momento muito tenso, mas no fim todos saíram salvos, inclusive a criança Kappa.

Naquele momento, Cherry sentia que estava realmente gostando bastante de Valkyon. Ele era o mais calado, mas tinha um coração enorme por dentro, era muito atencioso e cuidadoso. Lembrava um pouco os seus pais, e isso era ótimo, pois sentia muita falta deles. Não queria nem pensar em como eles devem estar surtando com o sumiço de seu único filho, que era adotado, pois não podiam ter mais nenhum. O único filho, que amaram com todo o seu coração. Felizmente, Valkyon era muito compreensivo e procurava ajudar Cherry em todos esses momentos, acalmando-o como podia. Era meio difícil não suprir algum sentimento por aquele homem. Ele não parecia ligar para o fato de Cherry parecer um homem para ele. Valkyon parecia ser do tipo que se relacionava pelo que a pessoa é por dentro, e não pelo que ela se parece por fora.

Assim que voltou daquela missão com Valkyon, Cherry descobriu sua verdadeira origem. Era filho de semideuses, filhos da musa Euterpe, a musa da música. Cherry ficou encantado com a ideia de descender de alguém assim, a possibilidade nunca tinha passado em sua cabeça antes. Agora entendia muito melhor o motivo de ter asas, afinal Euterpe era filha de Zeus, e Zeus possui a habilidade de se transformar em águia. Sendo assim, Cherry herdou as asas de águia, mas também o seu incrível dom para a música.

Mas não teve muito tempo para namorar a história de seus antepassados ou descobrir mais sobre suas habilidades. Logo uma segunda missão foi proposta. Dessa vez, Cherry precisava levar a criança Kappa até seu lar, uma ilha não muito distante dali. Dessa vez iria com Chrome, um garoto de no máximo 15 anos que parecia saber navegar muito bem. O percurso foi tranquilo. O problema é que ao chegarem na ilha, o barco sumiu misteriosamente. Ficaram ali por vários dias, procurando uma forma de voltar e enviar mensagens para o QG e explicar o que estava acontecendo. No fim, receberam a ajuda do grande ancião Kappa que os levaria para uma outra ilha um pouco mais próxima do QG e de lá eles nadariam como sereias/tritões até o QG com uma poção.

Cherry aceitou a ideia, mesmo meio pesaroso, sabendo que isso evidenciaria totalmente como seu verdadeiro corpo era. É claro que muita gente já devia desconfiar, mas até que conseguia disfarçar bem tudo aquilo. Agora Chrome o veria assim, mas não é como se ele se importasse tanto com isso, não era tão próximo assim do garoto. E era melhor do que ficar preso naquela ilha sem ter muito o que comer. Então fizeram a poção ali, viajaram com o mestre Kappa até a outra ilha e lá tomaram a poção, esperando apenas que fizesse efeito para que conseguissem pular no mar e nadar no QG.

Mas não foi tão simples assim. A poção não reagiu tão bem quanto esperado em Cherry. Como se imaginava, apresentou a ele uma forma de sereia, e não de tritão, mas por isso ele já esperava. O que acontecia é que conforme nadava, ficava realmente muito cansado e debilitado, o que não parecia acontecer com Chrome. Com muito custo Cherry nadou até o QG, mas antes de chegar lá, acabou perdendo a consciência por conta de sua extrema exaustão e o efeito do feitiço acabando.

Naquele momento, Cherry achou mesmo que morreria. Mas não foi o que aconteceu. Quando estava lá, desacordado no fundo do mar, Valkyon foi salvá-lo, retirando-o da água e levando-o para terra firme, onde tentava reanimá-lo com certo desespero. Ele precisava acordar. Não podia deixar que Cherry se fosse. O rapaz via que Cherry tinha um corpo totalmente diferente o esperado. Mas não ligava para isso. Valkyon nunca ligou para corpos, ou pra nudez. Sempre considerou algo muito banal, gostava muito mais do interior. E naquele momento, de fato o que menos importava era o corpo, precisava salvar o rapaz.

No fim deu tudo certo. Cherry recobrou sua consciência. Ficou envergonhado por ter sido visto daquela forma logo por Valkyon, por quem já tinha gerado uma certa quedinha, de longe a pessoa com quem ele mais se preocupava. Mas Valk não parecia se importar, e cuidava dele de forma incrível, como sempre cuidou, talvez com até uma certa preocupação a mais. O amor que Cherry sentia por ele só crescia, e ele realmente esperava que Valkyon sentisse o mesmo, que fosse correspondido. E de fato era, apesar de ser um pouco cedo para Cherry descobrir. Com o passar dos dias, graças ao apoio e aceitação de Valkyon quanto o seu corpor, Cherry aprendeu a conviver consigo daquela forma, e já se sentia melhor em relação a sua aparência. Estava também muito focado em descobrir mais sobre seu passado e suas habilidades. Descobriu que a mãe de Euterpe tinha grande relação com os mares, o que poderia garantir a Cherry mais habilidades.

Ainda queria voltar para casa. Ainda estava preocupado com seus pais e o medo e a tristeza que eles sentiam. Mas ao mesmo tempo, a cada dia que passava, se sentia mais parte de Eldarya também. E via em Valkyon o sonho que tinha antes de ir para Eldarya, alguém que o aceitasse como era por dentro, e não apenas pelo que é visto de fora. E ali, naquela amizade incrível, algo mais começou a brotar e a crescer de uma forma que Cherry nunca imaginou que seria possível.

Mas como foi dito antes, o destino prega peças… E felizmente, essa foi uma boa.




**




Algumas das aparencias do Cherry


♡ Looks ♡


A roupa do dia-a-dia, um presente dado por Euterpe

https://i.imgur.com/WsNL1hy.png

Esse desenho mostra ele em seu quarto, relaxando um pouco sem o peso da armadura

https://i.imgur.com/plGFVrL.jpg


As musicas favoritas dele



CherryPie



Ziggy Stardust



I Wanna Rock

Online

#3 19-02-2018, às 18h58

Guarda Sombra
Phler
Auxiliar do Jamon
Phler
...
Mensagens: 3 913

https://4.bp.blogspot.com/-TWnFYI3DZAc/WohcUIFqOOI/AAAAAAAAADo/_LSO6mlfhkwqP3K6Rmg0uveyC8TQHx9nwCLcBGAs/s320/BB%2BCODE%2BPT%2B1.png


Cherry... Que encantador! Me apaixonei por sua história ♥

Seja bem-vindo ao fórum e à Eldarya! Espero que seu coração se acalme por aqui...
Sua história é muito bonita (li linha por linha) e emocionante. Fiquei suspirando a cada pedacinho! É um prazer imenso conhecer você, seus gostos, seus medos, e particularidades. Não me leve a mal, te achei lindo (por dentro e por fora) ♥

Espero lhe ver mais vezes por aqui, será uma honra conversarmos quando estiver disposto...
Um grande beijo '3'


https://4.bp.blogspot.com/-0a4p2dyJdsA/WohdtKcs9mI/AAAAAAAAAEA/jVCRXtExyGofDTp5dVk4hCnRicOzV0c0QCLcBGAs/s320/BB%2BCODE%2BPT%2B2.png

Offline

#4 04-03-2018, às 13h24

Guarda Obsidiana
CherryPie
Fugindo da Miiko
CherryPie
...
Mensagens: 12

Adoraria conversar com você ^^ ainda estou criando um código bonitinho para esse tópico e para usar no forum junto com uma assinatura, mas acabei me afogando no evento >.< se estiver disposta a conversar estou sempre disponível!

Online

Páginas : 1